VOLTAR  

Lucy Kerr

Carta aberta para todas as mulheres que não querem mais realizar a mamografia

 Retrato do Dr. Kerr

Não se pode rastrear o câncer com um método que é cancerígeno.” Esta frase foi proferida Prof. Dr. Warwick E. Kerr, professor titular de Genética da USP- Ribeirão Preto, meu pai e professor, sobre a mamografia e exames radiológicos em geral. Esta frase foi dirigida para médicos em reuniões da congregação da USP e ele completava: “com exames radiológicos estamos comprometendo a saúde da pessoa e degradando o material genético das futuras gerações, propiciando a degeneração da espécie!!!” GRANDE PAI!

A mamografia nunca é necessária para rastrear o câncer de mama, já que é incapaz de reduzir a mortalidade pelo câncer de mama, não detecta metade dos cânceres presentes nas mamas na época do rastreio, não reduz a incidência dos cânceres avançados de mama (aqueles com metástases quando diagnosticados) (figs. 1, 2, 3) e ainda detecta cânceres de mama que não existem (um de cada três cânceres detectados), fazendo a mulher passar por todos os inconvenientes dos tratamentos do câncer, sem ter o câncer.

Figura1. Mamografia não detectou câncer palpável avançado com invasão da pele metástases axilares (área circulada) e visualizado no exame tríplice.

Figura1. Mamografia não detectou câncer palpável avançado com invasão da pele metástases axilares (área circulada) e visualizado no exame tríplice.

Figura 2. As imagens mostram o câncer na região central da mama direita, que não foi visto na mamografia emede 7.7x6.3x3.3cm nos maiores eixos(enorme), de limites irregulares, angulados, espiculados e mal definidos, invade a pele às 9 horas, onde mede 1.7x1.7x1.7cm nos maiores eixos(seta), produzindo retração e princípio de ulceração da mesma.
Figura 2. As imagens mostram o câncer na região central da mama direita, que não foi visto na mamografia emede 7.7×6.3×3.3cm nos maiores eixos(enorme), de limites irregulares, angulados, espiculados e mal definidos, invade a pele às 9 horas, onde mede 1.7×1.7×1.7cm nos maiores eixos(seta), produzindo retração e princípio de ulceração da mesma.

Figura 3. Também a mamografia não constatou invasão tumoral do mamilo (à direita), onde o câncer mede 1.9x1.9x1.0 cm nos maiores eixos. Você pode imaginar quão protegida estará em realizar a mamografia que não consegue ver um tumor desse tamanho, visível a olho nu e palpável? E no laudo há sempre a frase: “em mamas densas a sensibilidade do exame é reduzida, ou seja, não enxerga nada ou quase nada.” (e se você não entendeu esta mensagem cifrada poderá enganar-se quanto a segurança que o método lhe oferece).

Figura 3. Também a mamografia não constatou invasão tumoral do mamilo (à direita), onde o câncer mede 1.9×1.9×1.0 cm nos maiores eixos. Você pode imaginar quão protegida estará em realizar a mamografia que não consegue ver um tumor desse tamanho, visível a olho nu e palpável? E no laudo há sempre a frase: “em mamas densas a sensibilidade do exame é reduzida, ou seja, não enxerga nada ou quase nada.” (e se você não entendeu esta mensagem cifrada poderá enganar-se quanto a segurança que o método lhe oferece).

A mulher tem o direito de decidir por sua vida e saúde

A mulher tem o direito de decidir por sua vida e saúde e pode dizer ao seu médico ou médica que não fará mais a mamografia, não importa o quanto o médico(a) a peça. Você que lê e assiste nossos vídeos tem a informação correta sobre a mamografia, aquela que foi aprovada pela Cochrane, a entidade que valida a qualidade dos trabalhos científicos na área de diagnóstico, prevenção e tratamento em medicina, esta mesma verdade que eu explico e ensino para todas as mulheres, para que possam defender-se das condutas médicas ultrapassadas.

Seu(ua) médico(a) poderá recusar-se a te tratar depois de você informá-lo que não fará mais a mamografia. Esse é um direito dele. E daí você terá duas escolhas: buscar outro profissional que concorde com sua postura ou concordar com a conduta do seu(ua) médico(a). Essa decisão é sua e de mais ninguém. Meu papel é somente informar corretamente a você e todas as mulheres que nos acompanham, explicando os reais motivos subjacentes às propagandas enganosas do outubro rosa!!!

Se a mamografia fosse um medicamento, com muito menos efeitos colaterais dos que os maléficos da mamografia, que além do mais é totalmente ineficaz, já teria sido recolhida do mercado”, conforme diz Dr. Peter Gøtzsche, diretor da Cochrane da Dinamarca. Independente disso, é sempre árduo mudar uma conduta entranhada por anos a fio entre os médicos, como se fosse a máxima verdade, especialmente quando há lucros gigantescos envolvidos.

Mas com persistência, com os argumentos corretos e exemplos concretos estamos conseguindo algumas vitórias e iniciamos um diálogo construtivo com muitos médicos, inclusive como pessoal da pós-graduação em Termografia da USP – Universidade de São Paulo (clínicos), uma turma muito bacana, inteligente e esclarecida, que me convidou para explicar os motivos pelos quais eu estava nessa batalha ferrenha contra a mamografia. Felizmente o Brasil dispõe de muitos médicos competentes e atualizados.

Os médicos da USP me explicaram que estavam rastreando o câncer de mama pela termografia, que é inócua, mas como o método não é morfológico, eles necessitavam encaminhar os casos detectados como suspeitos para um método de imagem que fosse diagnóstico.

Depois de algumas decepções com a mamografia (esperadas) eles me pediram para eu expor meus argumentos e apresentei-os em uma aula que deveria ser de 1 hora e estendeu-se por 3 horas e 20 minutos em setembro de 2016, com direito e inúmeras perguntas e respostas.

Vitória para as mulheres!

Depois disso convidaram-me para mais uma aula em seu congresso em dezembro de 2016 e, plenamente convencidos que estavam no caminho certo, convidaram-me para dar um curso de 4 módulos na USP, no qual ensinaremos o método tríplice (ULTRASSONOGRAFIA, DOPPLER E ELASTOGRAFIA) e Dr. Marcos Brioschi a TERMOGRAFIA para o diagnóstico da patologia mamária para aqueles médicos interessados em iniciar-se em um método inócuo para o rastreio do câncer de mama.

Sabemos que um problema aflitivo para as mulheres que querem optar por uma nova conduta de rastreio é não poder contar com um médico na sua localidade ou próximo dela que estivesse habilitado em realizar o exame. Muitas mulheres não podem vir para São Paulo para realizar o exame tríplice. Este problema é frequente, tenho recebido inúmeros e-mails das nossas internautas a respeito e era difícil de resolver.

A ideia do Curso da USP é justamente formar médicos para usarem esses métodos não invasivos e inócuos no rastreio do câncer de mama, atendendo cada vez mais cidades brasileiras. O primeiro módulo será em 20 de maio de 2017. Começaremos a formar os profissionais habilitados em várias partes do Brasil. Vitória para as mulheres!!!

Dra. Lucy Kerr realizando exame tríplice na Sonimage

O Futuro já é o presente

Depois de quase 50 anos, as ideias de meu pai, professor titular de Genética da USP, começam a ser aplicadas na própria USP, onde primeiro foram expostas. Ele dizia nas reuniões da congregação da USP: “não se pode rastrear o câncer com um método que é cancerígeno.Neste caso o câncer seria o de mama e o método cancerígeno empregado para rastreá-lo seria a MAMOGRAFIA, mas todo e qualquer exame radiológico é cancerígeno e somente deverá ser empregado com absoluta necessidade e se não houver alternativas inócuas.

Abaixo anexo o anúncio de nosso curso na USP.

Quem sabe algum médico ultrassonografista de sua localidade se interesse em realizá-lo. Seria bom para ele e para você, pois os médicos habilitados serão divulgados em uma listagem para as pacientes poderem buscá-los.

Um grande abraço a todas as mulheres que eu defendo e defenderei sempre!

Dra. Lucy Kerr

Curso da Termografía Médica com o Exame Tríplice de Mamas

Curso com ênfase na associação da Termografia Médica com o Exame tríplice das mamas.

A Termografia Médica é um exame neurovascular e rastreador rápido e inócuo, que realiza o exame inicial das mamas para detectar a presença ou ausência de anormalidade e, se presente, a paciente é encaminhada para realizar o Exame Tríplice, que associa a ultrassonografia, com o Doppler e a elastografia, também inócuo, e que irá analisar a anormalidade detectada pela termografia visando diferenciar as lesões benignas das malignas.

O curso ministrará aulas teórico-prático, inclusive de laudos, para formar médicos habilitados na execução da termografia e exame tríplice da mama. O rastreio conjunto do câncer de mama pelos dois métodos é especialmente útil em mulheres jovens, nas quais o câncer é mais agressivo e necessitam de protocolo capaz de rastrear as mamas densas (grau III e IV). Aulas práticas com aparelhagem de US e termografia. Aulas de interpretação achados em exames e laudo.

INSCREVA-SE AQUI

INSCREVA-SE AQUI