LIVROS DE ULTRASSONOGRAFIA

Conheça os livros da Dra. Lucy Kerr

ULTRASSONOGRAFIA E DOPPLER DO TRATO GASTROINTESTINAL


livrodeultrassonografiaPode ser considerado como um  Atlas Ilustrado, este novo livro de Ultrassom escrito pela Dra. Lucy Kerr.

Com o título Ultrassonografia  e Doppler no Trato Gastrointestina , contêm 262 páginas e mais de 400 imagens diagnósticas, fotos e ilustrações de alta qualidade.  A obra ensina as técnicas dos exames de Ultrassom e Doppler de forma detalhada, avaliando os aspectos normais e anormais das alterações ultrassonográficas do trato gastrointestinal, assim como as alterações Doppler que acarretam, oferecendo conhecimento amplo, detalhado e útil sobre a matéria. Analisa casos reais.

Este novo livro ajuda no diagnóstico mais preciso das doenças gastrointestinais, com alto nível de precisão. Detalha uso da Ultrassonografia e Doppler para detecção de doenças intestinais. E é o primeiro de autor brasileiro a tratar do tema.

“Dra. Lucy mostra, neste livro, com uma clareza e uma didática indubitáveis, como o método de diagnóstico por imagem através da Ultrassonografia (US), principalmente se associado ao estudo Doppler detalhado e à Elastografia por ondas de cisalhamento e, ainda, se feitos com a técnica adequada e com o detalhamento indispensável, pode ir além dos dados mostrados pela própria Endoscopia, a qual se limita ao lúmen do tubo digestivo e, portanto, às lesões da mucosa do mesmo:- a Ultrassonografia detalhada, consegue detectar alterações da parede do trato gastrointestinal, como um todo, levando a diagnósticos de lesões que acometem a serosa (como, por exemplo, implantes metastáticos ou de endometriose) ou a parede muscular (exemplo: Doença de Cröhn) ou mesmo visualizando lesões da mucosa(que se projetam, ou não, no lúmen do tubo digestivo) levando, neste caso, à indicação de Endoscopia (com, ou sem, biópsia) para confirmação diagnóstica, muitas vezes em pacientes, até então, assintomáticos.

Este é o grande trunfo da Ultrassonografia bem feita:- método inócuo, que “informa além”, se feito com a técnica e o detalhamento perfeitos.”

“…Neste livro, Dra. Lucy Kerr objetiva, eloqüentemente, o quanto o detalhamento, no método ultrassonográfico, é fundamental para o diagnóstico acurado e para a evolução comparativa dos casos crônicos, não cirúrgicos. Em “Princípios Básicos” o leitor se depara com uma correlação extremamente didática entre a anatomia normal e suas imagens à US. Didática, repito. E nítida! Nos tópicos “Técnica” e “Critérios Diagnósticos”, Dra. Lucy relata cada passo imprescindível para um resultado confiável e mostra como a Ultrassonografia é fundamental para detectar patologias que envolvem as diferentes partes da parede do trato gastrointestinal, não se limitando à mucosa do mesmo. O manancial de casos, extremamente bem documentados e ilustrados no capítulo “Processos Patológicos do Trato Gastrointestinal”, fornece uma mostra bastante elucidativa do alcance deste método diagnóstico, se bem empregado. Digno de nota é o tópico dedicado ao Estudo Doppler, com o detalhamento da descrição dos pequenos vasos, relatando forma, disposição, trajeto, desvios, presença ou não de tortuosidades, de nichos de neovascularização, de vasos convergentes para cada lesão, tipo de fluxo intravascular, numa minúcia única, que chega ao preciosismo (!) mapeando, ultrassonograficamente, cada uma das lesões, quesito indispensável para o diagnóstico diferencial benigno/maligno, reduzindo, de modo significativo, a indicação de biópsias desnecessárias…”

“Digno de nota é o caso de carcinomatose abdominal com metástases omentais, documentado nas figuras 100 (de A até O), que exemplifica, de forma inconteste, o que acabei de afirmar. Trata-se de uma paciente minha, que me procurou por patologia tireoidiana – (Endocrinologista – Metabologista que sou) – e, no exame físico completo – (do qual nunca abro mão…!) – encontrei uma massa palpável, endurecida, indolor e imóvel, no flanco direito, que a paciente associara a “resto de gordurinha que ficou da lipoaspiração…” (sic) procedimento ao qual se submetera há algum tempo, repetindo, despreocupada – (nem se lembrava mais deste achado) – o que outro colega já afirmara a respeito, sem investigar (sic). Ali mesmo, naquele exato momento do exame físico, já fiz a hipótese de tumor do (ou no) epíplon. Insisti que a paciente investigasse tal achado com a US da Dra. Lucy Kerr. Entretanto, ela preferiu fazer a US em sua cidade, no interior de São Paulo. Diante do resultado, convencida da necessidade de confirmar minha hipótese diagnóstica, insisti na US mais detalhada da Dra. Lucy, que foi feita oito dias, apenas, após o primeiro exame. Não deu outra:- a confirmação do meu diagnóstico clínico se fez de maneira rica e irrefutável, indo além:- a paciente tinha um tumor gástrico com carcinomatose abdominal, ascite incipiente e, a massa palpada por mim era, realmente, confirmando minha impressão diagnóstica, ao exame físico, uma massa tumoral metastática em epíplon! Este caso ilustra, de modo incontestável, o quanto o diagnóstico apurado depende de um exame físico minucioso e completo e o quanto a US depende do preparo, da técnica correta e do detalhamento criterioso e incansável do ultrassonografista!

O Brasil tem o privilégio de possuir médicos de muito boa estirpe:- Dra. Lucy Kerr faz parte, com destaque absoluto, sem nenhuma dúvida, desta plêiade. Este livro é, ao mesmo tempo, fruto e prova desta afirmação…”

 

Dra. Vera Lúcia Teixeira

. Médica Endocrinologista – Metabologista

. Biomédica (Neurofisiologia e Fisiologia Endócrina e do Metabolismo)

. Graduada pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo

. Membro Titular da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia. (SBEM)

. Membro do Corpo Clínico do Hospital “Albert Einstein” – São Paulo

Já foi: . Preceptora de Residentes do Serviço de Endocrinologia do Hospital

do Servidor Público Estadual de São Paulo (HSPE-IAMSPE)

. Chefe do Ambulatório de Endocrinologia do HSPE-IAMSPE

. Membro da Diretoria do HSPE-IAMSPE

O grande trunfo de uma US bem feita é que o médico oferece um método inócuo e que “informa além” se feito com a técnica precisa. Neste livro, a autora relata cada passo imprescindível para um resultado confiável e mostra como a US é fundamental para detectar patologias que envolvem as diferentes partes da parede do trato gastrointestinal, não se limitando à mucosa, usando para tanto um manancial de casos muito bem documentados.

O uso do US no trato gastrointestinal é frustrante e um desafio freqüente para o médico. O gás contido dentro do lúmen intestinal dificulta, ou até mesmo impede a visualização do órgão, tornando-se a justificativa perigosa da falta de um parecer médico.  O livro da Dra. Lucy Kerr traz ilustrações pertinentes a cada caso com alta qualidade visual.

O exame ultrassonográfico tem papel importante na investigação primária em algumas condições. Estudos realizados recentemente  permitiram caracterizar, via US, uma grande variedade de patologias intestinais, entre elas: a Apendicite, a Diverticulite Aguda e a Doença de Crohn.

As sondas  ultrassonográficas de alta resolução ampliaram o universo diagnóstico  e a  precisão da avaliação  de toda a parede intestinal e suas patologias. Ou seja, desta forma o exame vai além da mucosa, o que não é possível com a endoscopia convencional.

O livro de US traz a parte de Doppler, por exemplo, estudada com detalhes e contendo inúmeras ilustrações na obra, o que é difícil de se encontrar na literatura médica nacional e internacional. No livro de US e Doppler  cada ilustração é explicada de forma clara.

Este tratado de ultrassonografia é pertinente por trazer um assunto pouco abordado na área de Ultrassonografia.  O tema vem ganhando importância devido à grande disseminação do exame ultrassonográfico na prática clínica, permitindo que a patologia intestinal seja detectada casualmente em rastreamentos de rotina.

O livro Ultrassonografia e Doppler no Trato Gastrointestinal é voltado para profissionais que atuam em Radiologia, Ultrassonografia, Diagnóstico por imagem, Medicina Interna, Gastroenterologia, Endoscopia Digestiva e Proctologia.  Sua linguagem didática facilita o entendimento até para principiantes no método.

DEPOIMENTOS

Muito bom mesmo! Está ajudando muito na prática. Principalmente nas patologias raras como a colite pseudomembranosa e outras. Aguardarei o próximo livro.
Tereziha Accioly

imenso prazer que é estar com a senhora e nesta data para um acontecimento tão importante. Como destaquei no facebook, agradeço a DEUS pela sua amizade e pela oportunidade de ter podido participar deste evento, o qual considero importantíssimo para a Ultrassonografia. Estava tudo muito bonito, o local muito agradável e as pessoas também. Vim lendo o livro na viagem, a a parabenizo pela qualidade do texto, organização didática e qualidade fotográfica, o que considero um presente para nós ultrassonografistas brasileiros e tenho certeza que será convidada a traduzi-lo para o inglês. Eu não conheço outra publicação desta tema internacional( exclusiva dele). Obrigada pela amizade e carinho há tantos anos!
Dra. Lucia Schaedler

Gostei muito do livro, me está sendo muito útil.  Nota-se em cada página a busca pela excelência.  Fiquei feliz em adquirir mais uma grande obra da Dra. Lucy Kerr, que é nossa maior referencia em competência, dedicação e coragem.

 

Dr. Farid Salmen

Reputo o livro como excelente, logicamente não o esgotei totalmente ainda. Utilizo como consulta diária, e me tem sido muito útil. Estou muito satisfeito. Um forte abraço à mestre.

Osmar Brasil da Rocha

Neste livro, a Dra. Lucy Kerr objetiva mostrar, eloquentemente, o quanto o detalhamento, no método ultrassonográfico, é fundamental para o diagnóstico acurado e para a evolução comparativa dos casos crônicos, não cirúrgicos.  Em Princípios Básicos, o leitor se depara com uma correlação extremamente didática entre a anatomia normal e suas  imagens na Ultrassonografia.
 
Didática, repito, e nítida. Nos tópicos Técnica e Critérios Diagnósticos, a Dra. Lucy relata cada passo  imprescindível para um resultado confiável e mostra como a ultrassonografia é fundamental para detectar patologias que envolvem as diferentes partes da parede do trato gastrointestinal, não se limitando à mucosa.
 
O manancial de casos, extremamente bem documentados e ilustrados, no capítulo Processos Patológicos do Trato Gastrointestinal, dá  uma mostra bastante elucidativa do alcance desse método diagnóstico, se bem empregado. Digno de nota é o tópico  dedicado ao estudo Doppler, com o detalhamento da descrição dos pequenos vasos, relatando forma, disposição, trajeto, desvios, presença ou não de tortuosidades, nichos de neovascularização e de vasos convergentes para cada lesão  e  tipo  de  fluxo  intravascular,  numa  minúcia  única,  que  chega  ao  preciosismo,  mapeando,  ultrassonograficamente,  cada uma das lesões, quesito indispensável para o diagnóstico diferencial benigno/maligno, reduzindo, de modo significativo, a indicação de biópsias desnecessárias…”
Dra. Vera Lúcia Teixeira

Médica endocrinologista-metabologista, Biomédica (Neurofisiologia e Fisiologia Endócrina e do Metabolismo). Graduada pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo. Membro titular da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM). Membro do corpo clínico do Hospital Albert Einstein. Já foi: . Preceptora de residentes do serviço de Endocrinologia do Hospital do Servidor Público Estadual de São Paulo (HSPE-IAMSPE) . Chefe do Ambulatório de Endocrinologia do HSPE-IAMSPE . Membro da Diretoria do HSPE-IAMSPE

Share This: