VOLTAR  

Na Sonimage realizamos de rotina vários rastreios em vários órgãos, sistemas e glândulas. É uma das áreas mais fortes da nossa clínica, pois este tipo de rastreio, focado na detecção precoce do câncer, tem que ser muito bem realizado para ser confiável e dar tranquilidade ao paciente do seu resultado negativo ser realmente negativo. 

Nada pior que realizar um exame de check-up, que pretende ser definitivo preventivo, e um mês depois ser detectado câncer avançado. Já tivemos muitos casos como esse que examinamos, após falha na detecção de outro laboratório.

Um dos mais significantes foi realizado após 1 semana do exame abdominal “normal” em outro serviço. No exame abdominal tríplice da Sonimage a paciente apresentava um câncer gástrico, com metástases (raízes) para o epiplon (uma membrana que recobre as vísceras abdominais), para a vesícula biliar e fígado. O detalhe importante: todos os tumores eram superficiais e a paciente havia sido examinada com equipamento de menor resolução e com foco médio, o que impossibilitou sua detecção, ainda que houvesse múltiplas lesões. Embora o tumor estivesse avançado, a paciente conseguiu ser curada após quimioterapia e cirurgia depois da regressão tumoral e está evoluindo bem. Mas seu estado geral era bom na ocasião do diagnóstico na Sonimage e ela conseguiu suportar o tratamento, o que não teria acontecido se fosse diagnosticada mais tardiamente, quando o organismo já estivesse totalmente depauperado pelo câncer.

O rastreio minucioso periódico do câncer é o principal destaque da Sonimage, por realizar, de rotina, o protocolo nível 4 da OMS – Organização Mundial da Saúde, o mais completo e detalhado, que permite a maior acurácia nos resultados.

A figura de US mostra uma (NS1) de cinco lesões sólidas detectadas nas mamas muito densas em rastreio de rotina (seta). No total foram detectadas duas nodulações de padrão francamente maligno na mama direita pelo exame tríplice e duas na mama esquerda com risco moderado de malignidade e uma benigna.

O nódulo NS1 da figura prévia é mostrado como lesão dura (em azul) na imagem elastográfica, corroborando o padrão US de malignidade.

Para fazer esses exames você necessita especificar o que deseja.

Os rastreios mais procurados pelas mulheres são:

Exame tríplice (US, Doppler e Elastografia) da tireoide, devido ao câncer tireoide ter aumentado 3.5 vezes nos últimos 30 anos em mulheres;

Exame tríplice (US, Doppler e Elastografia) das mamas, devido ser o segundo tumor mais comum das mulheres, abaixo apenas do câncer de pele, que é facilmente diagnosticado em uma visita ao dermatologista, contrário ao de mama, cujas falhas dos outros exames (em especial a mamografia e ressonância magnética) são muito frequentes: tanto Falso-positivos (diagnóstico do câncer que não existe), como Falso-negativos (não detectam o câncer que está presente na época do rastreio). Deve ser repetido anualmente ou semestralmente, conforme a densidade do parênquima mamário, que determina o maior ou menor risco do câncer de mama.

Exame tríplice (US, Doppler e Elastografia) da pelve para rastreio de lesões no útero, tubas uterinas e ovários.

Exame tríplice (US, Doppler e Elastografia) do abdome para rastreio em todos os órgãos sólidos da cavidade abdominal e de algumas vísceras ocas, que deve ser realizado de rotina uma vez ao ano, pois consegue examinar muitos órgãos concomitantemente e vale muito o custo-benefício. Deve ser repetido anualmente

Próstata com câncer (setas) detectado no exame tríplice de rastreio

Próstata com textura homogênea e sem câncer no exame de rastreio anual

Os rastreios mais procurados pelos homens são:

Exame tríplice (US, Doppler e Elastografia) da tireoide, devido ao câncer de tireoide ter aumentado também nos homens, sendo o aumento da mortalidade entre eles nos últimos 30 anos maior do que nas mulheres.

Exame tríplice (US, Doppler e Elastografia) do abdome para rastreio em todos os órgãos da cavidade abdominal e deve ser repetido anualmente

Exame tríplice (US, Doppler e Elastografia) próstata, devido ser o tumor visceral mais comum entre os humanos, ainda mais frequente do que câncer de mama das mulheres e deve ser repetido anualmente. O exame tríplice rastreia com eficácia a morfologia (US), a vascularização (Doppler) e a dureza (elastografia) das lesões da próstata e tem conseguido reduzir a indicação das temidas biópsias e suas complicações.

Deseja se cadastrar em nosso mailing?